COMO FAZER A VIDA SER BOA COM VOCÊ


A vida é injusta! Todos se dão bem, menos eu!

O que o outro tem que eu não tenho?

Esses são padrões de pensamento que levam a comportamentos destrutivos que fazem a gente acreditar que viver é realmente difícil.

Para começar essa conversar eu quero dizer que entendo perfeitamente essa sensação. Acordar todos os dias acreditando que eu “não tinha sorte na vida”.

Eu tinha crenças fortes a respeito de uma vida feliz e fácil. Acreditava que a vida era mesmo difícil, que não nascemos para ser feliz, que só os desonestos têm vida “fácil” e que nessa vida não há felicidade, apenas sofrimento. Essas eram minhas verdades e agia de acordo com elas.

Nós vivemos segundo a forma que enxergamos as coisas, pelas lentes de nossas verdades. Mas não significa que nossas verdades sejam “a verdade”.

Talvez você já tenha ouvido falar dos níveis neurológicos. É uma estrutura hierárquica criada por Robert Ditz. São 6 níveis de comportamentos e pensamentos que podemos ter.

Quando falamos de sentimentos de inferioridade, comparação, crenças de que viver é só sofrimento, que as coisas não dão certo, estamos falando de viver a vida no nível do ambiente. Pois você só consegue ver o que está fora de você, tudo que acontece a sua volta, as pessoas, os ambientes, o sistema em que está inserido. Você não se reconhece individualmente, apenas como parte de algo externo que tem total interferência em sua vida e que você não pode fazer nada para mudar. Essa é a visão da vida injusta.

Como identificar se você está vivendo no nível do ambiente

  • Você se compara aos outros, só vê o que os outros faz, como eles se comportam, o que eles têm ou não.

  • Foco nos acontecimentos ruins do mundo, em como o mundo é ruim, na quantidade de violência, no governo incompetente, nos desastres, nas tristezas e toda sorte de desgraças

  • Impotência diante da vida, entendem que não há nada que possa fazer para mudar sua sorte e atribui a algo externo a “sorte” ou falta dela.

O que acontece se ficar muito tempo nesse lugar

  • Você se torna uma pessoa altamente crítica, na esperança de diminuir sua dor da inferioridade, critica duramente tudo e todos para tentar diminuir a distância entre você e o resto do mundo

  • Cria mágoas irracionais

  • Se desequilibra emocionalmente por qualquer coisa

  • Começa a sentir-se perseguido, qualquer coisa que é dita para você, encara como ofensa ou crítica pessoal. Acha pelo em ovo.

  • Com o tempo se afunda nessa areia movediça e entra no modo zumbi. Levanta todos os dias, faz as mesmas coisas sem nem saber mais porquê. A vida perde o sentido.

03 passos para mudar seu padrão

Segundo Robert Diltz, para mudar uma situação e preciso agir num nível superior à que a situação está acontecendo, ou seja, se você está vivendo no nível do Ambiente, para resolver essa questão precisa se elevar ao nível do comportamento, onde você começa a ter mais controle sobre si. Para isso acontecer é preciso que você tome 3 ações ou passos:

1 – Autoconsciência: Tomar consciência dos padrões de comportamentos e das crenças que estão influenciando esses comportamentos;

2 – Reconhecer a responsabilidade: Você é o único responsável por seus comportamentos, é preciso assumir essa responsabilidade para que consiga fazer mudanças positivas. Talvez essa seja a fase mais complexa, porque ninguém gosta de descobrir e admitir que é o causador de seus resultados negativos. Mas tenha força nessa hora, é um passo importante.

3 – Crie comportamentos substitutos: Toda a questão está na forma como você se comporta e pensa no automático. Sair do automático significa mudar, propositadamente, um comportamento. Consciente dos comportamentos nocivos, crie outros racionalmente.

Eu vou lhe contar um caso de um cliente real (o nome é fictício)

"

Antônio me procurou para melhorar seu desempenho na carreira. Queria muito uma promoção, mas sentia que isso era impossível para ele. Queria ajuda para conquistar esse objetivo.

Ele se sentia infortunado na vida, sentia que todos os desprezam, que tinham pena dele e só por isso ele tem emprego, família, amigos, só porque todos têm pena. Ele odiava a penas das pessoas.

Quanto ao trabalho ele odiava quando era envolvido em projetos com outros colaboradores e odiava reuniões. Sempre tinha a sensação da pena das pessoas e isso o fazia sentir-se humilhado pelas pessoas. Observava que todos eram tão proativos, davam suas opiniões sem receio, expunham suas ideias, “só para provarem que eram melhores que ele”.

Seu comportamento era sempre se colocar de lado nessas situações, seu objetivo era parecer invisível."

Durante o trabalho realizamos a mudança dentro dos níveis neurológicos, levando-o às seguintes conclusões e ações:

1 – “Eu percebo que me coloco para baixo das outras pessoas, me comparo e não consigo ver nada de bom em mim, acredito que sempre vai ter alguém melhor do que eu e não tenho força para superá-los. ”

2 – Eu me coloco de fora das conversas de propósito, assim evito que os outros descubram que sou um fracasso. Sei que é algo que faço inconsciente, mas é minha responsabilidade esse comportamento, faço por que quero.

3 – O comportamento ideal é que as pessoas saibam que eu existo e que sou bom em algo, assim conquistarei a promoção. Vou me expor aos poucos, um pouco mais a cada dia.

O fim dessa história é, ele sofreu, suou frio, teve medo, tentou várias vezes, algumas conseguiu, outras não, mas não desistiu. Entendeu sua responsabilidade e persistiu. Mudar um comportamento é simples, mas não significa que será num estalar de dedos. Ele conseguiu pelo seu esforço e mérito e da última vez que nos falamos ele tinha se candidatado ao processo seletivo interno para a promoção. Tenho certeza que ele vai conseguir.

E você, que está aí nesse momento duvidando de suas capacidades, pare agora mesmo!

Perceba o quanto você é um ser único. E se precisar, procure ajuda, ninguém precisa passar por isso sozinho.

Uma dica que quero dar é o Programa Potência Máxima.

Criei esse programa justamente para ajudar as pessoas a darem os primeiros passos em direção a uma vida mais plena, de realizações e satisfação pessoal.

Se você leu esse artigo até o fim vai encontrar o link do programa com um GRANDE cupom de desconto. ;)

Clique aqui

Se você tem algum tema ou questão que precisa de ajuda, é só me dizer.

Abraço e até a próxima.

#vida #vidainjusta #resolveravida #problemasdavida #níveisneurológicos

0 visualização
  • LinkedIn ícone social
  • Facebook ícone social
  • YouTube
  • Instagram

© 2015 by Nanda Ricci.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now